segunda-feira, março 14, 2011

COASTWATCH 2011 - RESULTADOS

(foto gentilmente cedida por Manuel Vitoriano)
A campanha “CoastWatch” pretende auxiliar a preservação do litoral, compreender o impacto das alterações climáticas e sensibilizar a população para a importância da participação pública. No passado Domingo, dia 13 de Março, entre as 9.30 e as 13 horas, os Amigos do Cáster, juntaram-se, como tem sido hábito, a essa iniciativa e percorreram os 5 km que distam entre a Praia do Furadouro e a Praia do Torrão de Lameiro. Este ano tiveram uma ajuda extra. A presença do Professor Doutor Carlos Coelho da Universidade de Aveiro, perto de 20 alunos do 12.º ano da Escola Secundária Júlio Dinis, diversos participantes e de “Atila” (um Labrador que acompanhou parte do percurso). O Professor Carlos Coelho respondeu a diversas questões colocadas pelos participantes sobre o fenómeno da Erosão Costeira e Defesa da Costa. Os alunos da Secundária Júlio Dinis, enquanto recolhiam lixo na Praia do Furadouro, elaboravam um trabalho para a disciplina de Area-Projecto. Os Amigos do Cáster, e demais participantes, recolhiam as informações necessárias para concluir os questionários do GEOTA. Todos, em conjunto, aproveitaram uma manha amena - sem vento e chuva – com condições ideais para um longo passeio pela costa, sentir o cheiro do mar, o vento, observar aves e aproveitar alguns raios de sol que se fizeram sentir. O percurso foi feito a pé, em período de maré baixa, e a equipa responsável recolhia o maior número de informações possível, examinaram o areal, as dunas e a linha do mar. Pretendia-se com isto obter elementos sobre o tipo da costa, da existência de descargas líquidas no mar; da largura da zona supratidal (zona coberta pela água do mar na época de marés vivas)- zona permanentemente emersa excepto no período de marés vivas e da zona interdital (limite mínimo e máximo das marés) – zona que se situa entre o nível mínimo de baixa mar e o nível máximo de preia-mar. Ao longo deste percurso observaram sinais de deslizamento de terrenos, galgamento do mar, alterações provocadas por pressão turística excessiva, zonas de estacionamento injustificadas, perda de qualidade ambiental e excesso de edificações. As obras de requalificação dunar da Zona Sul contrastam com o encanto natural e selvagem da extensão de praia até ao Torrão do Lameiro. É necessário proceder à delimitação de parte do cordão dunar daquela zona e, continuar, a sensibilizar a população para a sua importância e para a necessidade da sua preservação. Os Amigos do Cáster vão continuar a manifestar a sua preocupação, junto das autoridades competentes, para a preservação de um dos mais importantes patrimónios ambientais do concelho de Ovar. A poluição é uma constante. Detectamos a existência de diversos resíduos (cuja quantidade média era superior a 100 unidades por 500m, excepto no último km) de plástico, metal e vidro (entre 6 a 50 unidades, em algumas áreas, e 50 a 100 noutras) e alguma madeira (árvores e troncos). Este ano havia menos lixo do que foi detectado em edições anteriores. Não porque exista menos lixo mas porque este foi levado pelo mar para trás da zona dunar em virtude da destruição de muitas dunas primárias.
(foto gentilmente cedida por Manuel Vitoriano)

2 comentários:

OLima disse...

Bem hajam. Um exemplo para a juventude e não só. Octávio Lima (http://onda7.blogspot.com)

Rafael Amorim disse...

Obrigado. Apareça nas nossas iniciativas. Cumprimentos