segunda-feira, julho 12, 2010

POLITICAS AMBIENTAIS E IGUALDADE DE GENERO (1.ª)

Na Tailândia, diversos silvicultores pediram a um grupo de homens, de uma aldeia remota, para plantar 3000 árvores. O objectivo era a construção de móveis e esculturas em madeira para venda. Todavia, após terem sido plantadas nenhuma sobreviveu. A razão era simples, naquele local, eram as mulheres que tratavam das plantações e sabiam que aquele tipo de árvore não era o mais adequado. No Irão, as mulheres revelaram conhecimentos sofisticados em tecnologias para produção agrícola, como a produção alimentar em túneis debaixo do deserto de Yazd. No Brasil, pesquisas etno-botânicas conduzidas no Parque Nacional de Jaú concluíram que as mulheres têm conhecimentos mais alargados sobre as propriedades das espécies locais. Estes foram alguns, pequenos, exemplos da importância das questões de Género nas Politicas Ambientais e Económicas. Importância essa reconhecida por diversas Organizações e Declarações Internacionais: O Banco Mundial, num relatório de 2003, referiu: “…as mulheres detêm um importante papel na gestão e conservação de recursos naturais e frequentemente possuem um conhecimento profundo acerca do ambiente.”. A Declaração e Plataforma de Acção de Pequim (Quarta Conferência Mundial sobre a Mulher, 1995, e que este mês celebra o seu 15.º aniversário) na secção K, sobre mulheres e ambiente, atesta “…as mulheres têm um papel essencial nos padrões de consumo e produção sustentáveis e abordagens à gestão dos recursos naturais.”. Conhecer e incorporar os conhecimentos das mulheres significa uma ajuda importante em intervenções mais sustentáveis no meio ambiente. A utilização do termo “género” traduz as características sociais, culturais e psicológicas atribuídas ao sexo biológico.  Se tivermos em mente apenas dois aspectos : (i) a larga maioria de utentes dos transportes públicos serem mulheres e (ii) que são elas as maiores consumidoras de produtos, entendem-se a importância de aumentar, e envolver, as mulheres em grande parte das decisões ambientais. Diversos organismos públicos teem integrado perspectivas de género nos seus planos sobre desenvolvimento sustentável, ambiente e aumentado a presença de mulheres na tomada de decisões sobre questões ambientais. Cada vez mais exigem –se padrões de desenvolvimento sustentável e a preservação da capacidade produtiva dos ecossistemas naturais para futuras gerações. Este texto pode ser ouvido na Rádio Antena Vareira, 98.7 FM, de Segunda à Sexta, as 8h30 e 16h30, e na SFM, 98.1 FM. (Rafael Amorim | Amigos do Caster).

2 comentários:

Nekas disse...

Caros amigos, sou residente em Válega/Ovar e venho aqui falar de uma causa que julgo eu não estar perdida - A recuperação do Cine-Teatro de Ovar.
Recentemente foi criado um grupo no facebook denominado "Queremos de volta o Cine-Teatro de Ovar" a fim de alguém ver e dar um olhar a esta causa a fim de restaurar este grande espaço de Ovar.


Abraço
Cinema as my World

Anónimo disse...

Muita força e boa sorte com esse projecto são os votos dos Amigos do Caster